Vocação para ser psicólogo


A vocação é importante para qualquer profissional, mas é essencial para aquele que vai cuidar da alma humana, como é o caso do psicólogo.

Há que se ter o chamado!

Vocação para ser psicólogo


Vocação tem origem na palavra “vocare“, que significa chamamento, que foi chamado.

Vocação está intimamente ligada ao sentido de “voz interior“ e de utilização de nossas “potencialidades”.

Negar a existência de uma vocação equivale a negar a própria essência.

Há que se reconhecer bem a necessidade existente que fez alguém escolher o ofício de psicólogo.

A vocação para ser psicólogo está ligada à necessidade de ajudar.

Na psicologia, aquele que procura ajuda acaba por alimentar a vocação daquele que quer ajudar: o psicólogo.

Aquele que procura ajuda acaba por ajudar aquele que tem o ofício de ajudar!

Há necessidade em todos os envolvidos e a necessidade os faz humanos.

Jung se refere à psicoterapia como um encontro de almas e o propósito do psicólogo de ajudar deve ser sempre mantido e isto significa não virar as costas para a sua própria necessidade.

Se a necessidade do psicólogo for de fama ou dinheiro isso afetará a sua forma de atuação e desvirtuará a essência de seu ofício.

Não que fama e dinheiro devam ser negligenciados, mas em hipótese alguma devem ser privilegiados.

A percepção e compreensão das próprias necessidades é que determinará o rumo da sua atuação.

Aonde alguém for as suas necessidades o acompanharão. Isto serve para aquele que necessita de ajuda e mais ainda para aquele que quer ajudar.

O êxito de um processo psicoterapêutico pode eliminar ou amenizar a necessidade de ajuda daquele que procurou o psicólogo, mas o psicólogo nunca terá sua sede de ajudar saciada e isto implica que o psicólogo é um ser que sempre carregará a sua necessidade.

E isto confere grande beleza e nobreza ao ofício de ser psicólogo!

A vocação para ser psicólogo consiste no apelo de ajudar de sua alma que não se cala.

Mas, infelizmente, fomos criados para negarmos nossas necessidades em razão de terem sido catalogadas como sinais de fraqueza diante de um mundo que exige que você seja forte e feliz de acordo com as fórmulas estipuladas pela sua cultura.

A vocação para ser psicólogo passa pela conscientização e ininterrupta lembrança de sua necessidade de ajudar.

O chamado para ser psicólogo não pode deixar de ser ouvido nunca!

Mesmo que alguns considerem certas palavras inviáveis no exercício de um ofício, a palavra “amor” não tem como se ausentar do ofício do psicólogo.

O chamado para auxiliar aquele que sofre torna o ofício do psicólogo um ofício que se realiza através do amor.

Aqui a expressão “amor” pode ser entendida como o amor que alimenta a vontade de ajudar e de compreender o outro. Esta é uma das mais belas expressões do amor!

E amor é um ótimo remédio para o medo e o medo existe em todo aquele que procura ajuda.

Cabe ao psicólogo compreender que todo encontro terapêutico é uma relação humana.

Cabe ao psicólogo compreender que toda observação e comunicação implicam em interação entre dois seres humanos.

Cabe ao psicólogo compreender que quem procura o terapeuta é o cliente e não o seu complexo, neurose ou patologia, portanto, a relação psicoterapêutica se baseia na busca de um ser humano que quer ser ajudado por outro ser humano que ele acredita poder lhe ajudar.

E se alguém precisa e procura ajuda e leva sua alma para um encontro com outra alma, a relação tem que se pautar no amor.

Esta procura é feita pela pessoa que procura o psicólogo.

E esta procura também é feita pelo próprio psicólogo que vê naquele que busca ajuda o caminho para atender o seu chamado interno, a sua vocação.


Veja também…

Vídeo: O que é preciso para ser psicoterapeuta?