Transferência


O que significa Transferência?

Dicionário Junguiano: Ligação libidinal e intensa do cliente com o seu psicoterapeuta. Seu propósito é o vínculo humano…

Transferência – Dicionário Junguiano

Dicionário Junguiano

Transferência


Em um sentido abrangente, a “transferência” inclui todas as vivências em que há uma projeção psicológica e em um sentido mais restrito refere-se à ligação libidinal e intensa do cliente com o seu psicoterapeuta e que resulta em projeções psicológicas do primeiro para o segundo.

Na análise clínica constatou-se que os conteúdos inconscientes se manifestam sempre, primeiro, de forma projetada, sobre pessoas e condições objetivas. Muitas projeções são integradas no indivíduo definitivamente, pelo simples reconhecimento de que fazem parte de seu mundo subjetivo. Mas há outras, no entanto, que não se deixam integrar, apenas se desligam dos seus objetos iniciais e são transferidos ao terapeuta. (Carl Gustav Jung; Ab-reação, análise dos sonhos e transferência – § 357).

Há, porém, que se colocar que transferência é mais do que projeção, pois é algo arquetípico e a projeção que nela acontece é apenas a forma ou símbolo de sua manifestação.

O que ela quer é o vínculo humano. É este exatamente o núcleo do fenômeno da transferência, que é impossível eliminar, porquanto a relação com o Si-Mesmo é ao mesmo tempo a relação com o próximo. E ninguém se vincula com o outro, se antes não se vincular consigo mesmo. (Carl Gustav Jung; Ab-reação, análise dos sonhos e transferência – § 445).

Transferência – Dicionário Junguiano

Portanto, o propósito da transferência é estabelecer o vínculo humano e ela transcende a projeção por seu caráter arquetípico.

O outro acaba sendo uma representação objetiva de uma imagem arquetípica, logo, subjetiva.

Pode ser positiva quando pautada no afeto e respeito, mas também pode ser negativa quando se baseia na resistência e na hostilidade.

Jung foi contraditório quanto à transferência considerando-a algo a ser evitado na relação terapeuta e cliente.

Mas a posição que prevaleceu é a de que ela era inevitável e benéfica por ser caminho de retorno dos conteúdos projetados.

O retorno dos conteúdos projetados é caminho para o autoconhecimento e enriquecimento psíquico, além de ser fundamental ao processo de individuação.

Paulo Rogério da Motta


Veja também…

O que é Energia Psíquica?