Sufismo e Psicologia Analítica

Sufismo e Psicologia Analítica falam de um guia que impulsiona o desenvolvimento interior do ser humano e do propósito de buscar a si mesmo.

Sufismo e Psicologia Analítica

O Sufismo


O Sufismo geralmente é descrito pelos historiadores como o cerne místico do Islamismo.

O Islamismo (provém da palavra árabe que significa “paz” ou “renúncia”) e é o sistema religioso baseado no Alcorão (ou Quran) que foi revelado pelo profeta Maomé.

Al-Ghazzali que é chamado de “a prova do Islamismo” e de “o restaurador do Islamismo” é uma da figuras mais importantes na teologia islâmica.

Os escritos de Al-Ghazzali estão entre os ensinamentos sufistas mais lidos e a sua influência fez com que muitos teólogos islâmicos, por fim, aceitassem o Sufismo dentro do Islamismo.

Al-Ghazzali diz que o corpo deve ser considerado como o carregador e a alma como o viajante e distingue quatro elementos do intelecto:

  • Impulso
  • Intelecto axiomático
  • Conhecimento empírico
  • Intelecto desenvolvido

Impulso para a compreensão

Que a psicologia ocidental pode chamar de curiosidade.


Intelecto axiomático

Que é a capacidade para entender as relações lógicas.


Conhecimento empírico

Que está relacionado ao que é externo.


Intelecto desenvolvido

Que é a forma mais elevada e que guia o desenvolvimento interior permitindo que a pessoa conquiste e domine seus apetites que buscam o prazer imediato.


O Sufismo trabalha com a proposta de que quanto mais se separar o verdadeiro do irrelevante e do falso, mais perto o indivíduo estará de ser capaz de ver a imagem mais ampla da humanidade e da qual a personalidade humana é apenas uma parte muito pequena.

Sufismo e Psicologia Analítica

Sufismo e Psicologia Analítica


O Sufismo, que é a parte mística do islamismo, considera o corpo como o carregador e alma como o viajante.

A concepção do inconsciente como não sendo mero epifenômeno do cérebro é algo que sintoniza com esta ideia do Sufismo.

O Sufismo também considera que no intelecto do homem há quatro elementos e que um elemento, o intelecto desenvolvido, guia o homem em seu desenvolvimento interior.

A concepção de que há algo que guia o ser humano em seu desenvolvimento interior é a mesma concepção de Jung a respeito do Self.

O Sufismo diz que a personalidade humana é apenas uma diminuta parte da unidade que é a própria humanidade.

Ou seja, há na natureza humana um elemento com o propósito de desenvolvimento interior e que a busca da verdade culminará com a percepção do homem de que a própria humanidade é uma unidade.

Esta afirmação de que a humanidade é uma unidade condiz com a ideia de Inconsciente Coletivo que é uma herança psíquica comum a todos os seres humano.

Para a psicologia de Jung há que se buscar a unidade do indivíduo dentro da unidade humana que é o que Jung chamou de individuação.

No Sufismo, o aspecto espiritual se faz presente no homem como constituindo a sua natureza e fazendo com que este venha a ter aspirações de autodesenvolvimento.

Pelo visto aqui é possível perceber que Sufismo e Psicologia Analítica comungam de conceitos e, cada um dentro do contexto que estão inseridos, direcionam o sentida da vida humana para o autodesenvolvimento.

Sufismo e Psicologia Analítica

Paulo Rogério da Motta