Senda espiritual e psicologia

Senda espiritual e psicologia são temas que se entrelaçam quando o ser humano se decide por levar uma vida com aspirações espirituais.

Afinal, a psicologia lida com a alma!

Senda espiritual e psicologia

Senda espiritual e psicologia


A espiritualidade, para muitos, pode ser fator de grande importância em relação ao significado de sua vida.

Senda espiritual e psicologia se tornam indissociáveis quando o ser humano deliberadamente resolve acelerar o seu processo de evolução espiritual.

Annie Besant, em sua obra: A sabedoria antiga, ao comentar sobre a ascensão do homem diz que:

[…] à medida que a natureza intelectual, moral e espiritual do homem se desenvolvem, ele se torna cada vez mais consciente do propósito da vida humana, e cada vez mais ansioso de realizar esse propósito em sua pessoa […].

Besant também diz que a alma humana em seu processo de evolução buscará o que é eterno e que seja também verdadeiro, o que pode ser entendido como a situação do homem que alcançou um estágio avançado de desenvolvimento e que então se vê impelido a buscar acelerar a sua evolução.

Para esta pessoa a evolução é vista como o propósito da vida, e, assim, passa a trilhar a denominada senda espiritual.

Sobre este tema há um artigo no Euniverso que complementa o que estudamos aqui: Trilhar a senda espiritual.

A tomada de consciência de um propósito para a vida vem a ser algo que norteia as ações do indivíduo e, consequentemente, delineiam a percepção e determinam os investimentos psíquicos que serão feitos para obtenção desse propósito.

À psicologia cabe o papel de tratar temas relacionados à conduta humana e Carl Gustav Jung, na obra: Psicologia e religião (2008, § 5), diz que:

[…] a Psicologia trata de ideias e de outros conteúdos espirituais do mesmo modo que, por ex., a Zoologia se ocupa das diversas espécies animais.

Esta declaração de Jung permite à psicologia tratar o ser humano em sua totalidade, não se excluindo conteúdos de natureza espiritual, pois como se demonstrou, estes exercem influência sobre a atuação humana na vida.

À psicologia cabe lidar com a realidade psicológica da alma do indivíduo.

Ao se falar sobre a natureza da evolução espiritual, Irving Cooper, em sua obra: Teosofia simplificada, afirma que não é somente a aquisição de qualidades ao caráter que configura a senda espiritual, mas também:

[…] a estimulação à atividade e expressão de qualidades que sempre possuímos, mas em condição latente […].

Isto indica que a manifestação das potencialidades é necessária ao desenvolvimento.

Tal afirmação indica a presença de qualidades latentes em cada ser humano, qualidades que precisam ser buscadas por cada um dentro de si mesmo e tal busca consiste na transformação do que é latente em algo manifesto que só é possível através da conscientização e isto s trata de um processo psíquico.

Estas qualidades latentes conciliam com as ideias de Jung de que há uma totalidade encerrada em cada ser humano.

A senda espiritual acaba por ser também uma senda psíquica, aliás, como toda experiência humana é. E sendo psíquico cabe à psicologia um papel.

Senda espiritual e psicologia são caminhos que convergem quando o ser humano encara a sua vida como uma jornada da alma.

Paulo Rogério da Motta