Quem era Jung?

Quem era Jung?

Esta é uma questão que o próprio Jung fez a si mesmo durante toda a sua vida.

Mas falemos sobre isso!

Quem era Jung

O criador e a criação


Jung criou uma psicologia fascinante, complexa e profunda.

E Jung teve um desejo que não se realizou!

Jung disse:

“Eu só posso esperar e desejar que ninguém se torne “junguiano”. Eu não defendo uma doutrina, mas descrevo fatos e chamo a atenção para certas opiniões que considero dignas de discussão… Eu deixo qualquer pessoa livre para lidar com os fatos a seu próprio modo, uma vez que eu também reclamo essa liberdade para mim.”.

A expressão “junguiano”, porém se popularizou e hoje é amplamente utilizada, mas a abertura de sua psicologia é um desejo que foi atendido.

A psicologia de Jung não se baseia em dogmas intocáveis e permite inúmeras interpretações e isto é afinado com a proposta de busca de si mesmo que a sua psicologia propõe.

A busca de si mesmo é um caminho que precisa ser trilhado individualmente e isto indica que o sentido desta busca se baseia nas percepções e significações daquele que caminha.

A psicologia junguiana ou analítica propõe a existência de uma meta no desenvolvimento psíquico, que confere sentido à existência humana.

As nossas escolhas pessoais, profissionais, as emoções, sonhos e ideias têm um propósito, que é a realização de nossa totalidade psíquica.

A este caminho de desenvolvimento, Jung chamou de processo de individuação.

Quem era Jung?

Jung foi alguém que trilhou a caminho da busca de si mesmo e a nossa pergunta é uma questão que Jung tentou responder para si mesmo durante toda a sua vida.

Jung foi alguém que fez de sua vida um processo de autoconhecimento e com o aprendizado obtido em seu próprio caminhar criou uma teoria para auxiliar aqueles que buscam o que ele mesmo procurava: si mesmo!

A psicoterapia junguiana propõe que nos conheçamos para que direcionemos melhor a energia de nossa psique, cientes de nossa capacidade criativa e construtiva.

O processo de terapia junguiana, portanto, visa aprofundar o contato com este funcionamento psíquico particular a cada pessoa, proporcionando uma maior compreensão das próprias necessidades e potenciais do indivíduo.

Quem era Jung

Mas, quem era Jung?


Para responder “quem era Jung?” utilizaremos excertos de duas obras.

A primeira obra servirá para responder diretamente a questão.

A segunda obra responderá “quem era Jung?” através de alguns de seus próprios pensamentos.

Inicialmente o trecho do livro: “Introdução à Psicologia Junguiana”, de Calvin S. Hall e Vernon J. Nordby.

Quem era Jung

Que espécie de homem era Jung?

Fisicamente, era alto, espadaúdo e forte.

Galgava montanhas e velejava com perícia.

Gostava de jardinar, de rachar lenha, de burilar a pedra, de construir e de outras atividades manuais.

Gostava de jogos.

Era um bom garfo, gostava de vinhos, fumava charutos e cachimbo. Era um homem ativo, vigoroso e saudável.

Todos aqueles que estiveram em contato com ele comentaram-lhe a jovialidade, o fulgor dos olhos, a gargalhada alegre e contagiosa, e o extraordinário senso de humor.

Era um bom ouvinte, mas também tinha uma boa prosa, e jamais dava mostras de estar apressado ou preocupado.

Nas conversas, sabia tolerar pontos de vista diferentes dos seus, mostrava-se flexível ao abordar questões e falava com simplicidade.

Preferia um linguajar vernáculo e gostava de entremear conversas, quando falava com americanos, com expressões de gíria americana.

Em sua presença, as pessoas sentiam-se à vontade.

Quem era Jung?

Ele estudou Medicina, embora jamais tivesse praticado a clínica geral.

Em vez disso, fez-se psiquiatra, a princípio num hospital e numa clínica para doentes mentais; depois, em seu consultório particular.

Foi também professor universitário.

Esteve por muitos anos intimamente ligado à escola freudiana de Psicanálise.

Depois de romper com Freud, desenvolveu o próprio sistema de psicanálise.

Denominou a princípio Psicologia Complexa e mais tarde Psicologia Analítica.

Seu sistema incluía não somente um conjunto de conceitos e formulações teóricas, mas também métodos para tratar pessoas com problemas psicológicos.

Jung não restringia as atividades profissionais ao gabinete de consultas.

Aplicou as suas ideias a uma análise crítica de um variado feixe de problemas sociais, de questões religiosas e de tendências da arte moderna.

Foi um sábio de impressionante erudição, e lia em inglês, em francês, em latim e em grego com a mesma facilidade com que fazia em sua língua materna, o alemão.

Foi um escritor muito talentoso.

A cidade de Zurique concedeu-lhe um prêmio literário em 1932.

Foi marido e pai dedicado e um cidadão suíço bem esclarecido.

Pertenceu ao Partido Democrático ou de “Liberdade de Pensamento”.

Médico, psiquiatra, psicanalista, professor, sábio, escritor, crítico social, homem do lar e cidadão – Jung foi tudo isso.

Em primeiro lugar e acima de tudo, entretanto, foi um incansável estudioso da psique.

Isto é, foi um psicólogo.

E como psicólogo é que ele gostaria de ser lembrado e o será.

Ele disse: “… a finalidade única da existência humana é a de acender uma luz na escuridão do ser”.

Quem era Jung

Quem era Jung!


A segunda obra que nos auxilia a responder “quem era Jung?” é sua obra autobiográfica: “Memórias, sonhos, reflexões”.

Algumas frases e pensamentos foram selecionados e eles refletem que as características que Jung colocou em sua psicologia também eram suas próprias características, ou seja, Jung era uma pessoa fascinante, complexa e profunda.


Vídeo: Quem era Jung?


Frases e pensamentos de Jung


Minha vida é a história de um inconsciente que se realizou.


Deus nunca falou aos homens exceto dentro e através da psique, e a psique O compreende e nós O experimentamos como algo psíquico.


Assim como uma planta produz flores, assim a psique cria os seus símbolos.


O ego quer sempre explicações a fim de consolidar sua existência.


Como eu posso ser substancial sem dispor de uma sombra?


O self designa a personalidade total.


Tudo o que acontece, corretamente compreendido, leva-nos de volta a nós mesmos.


Tanto minha experiência como minha vida pessoal colocaram-me constantemente diante do mistério do amor e nunca fui capaz de dar-lhe uma resposta válida.


Não é perfeição, mas totalidade o que se espera de você.


Vídeos: Frases e Pensamentos


Jung: “Não concordo quando dizem que eu sou um sábio ou “iniciado” na sabedoria. Certo dia, um homem encheu o chapéu com água tirada de um rio. O que significa isso? Eu não sou esse rio, estou à sua margem, mas nada faço.”.

Quem era Jung


Mais de Carl Gustav Jung