Psicologia, bíblia e a natureza humana

A bíblia e a natureza humana, na primeira as palavras e na segunda a imagem de um Criador.

Considerações psicológicas sobre corpo, mente e espírito.

Psicologia, bíblia e a natureza humana

A bíblia e a natureza humana


Hubert Lepargneur, comenta a bíblia e natureza humana em sua obra: Consciência, corpo e mente: psicologia e parapsicologia. Ele disserta sobre a constituição da natureza humana segundo os textos bíblicos do judeu-cristianismo.

O autor fala que Deus criou a matéria e o espírito e conjugou ambos no ser humano e, assim, o homem foi concebido como unidade psicossomática criada à imagem de Deus.

O conjunto do ser humano é numa perspectiva mental assim definida:

  • Basar é a carne
  • Nefesh é a alma em relação com as necessidades fisiológicas
  • Leb é o coração relacionado à psique profunda
  • Sarx é o corpo animado
  • Kardia é o coração como sede das paixões e faculdades mentais
  • Pneuma é o espírito aberto de Deus

O complexo humano se visto como uma tríade na bíblia hebraica pode ser elaborada tendo:


O corpo

Como bâssâr, em grego soma ou sarx que é carne.


A alma e princípio vital

Como nefesh e psychè em grego.


Espírito

Como neshamá, princípio da vida espiritual e pneuma em grego.


No cristianismo através do Novo Testamento, especificamente na Primeira Carta aos Tessalonicenses, São Paulo fala da unidade do homem através da trilogia:

  • Soma
  • Psique
  • Pneuma

Esta trilogia também pode ser definida como:

  • Corpo
  • Mente
  • Espírito

Psicologia, bíblia e a natureza humana

O enfoque psicológico


A bíblia e a natureza humana sob enfoque psicológico concebe a sempre presente interação entre corpo, alma e espírito.

Nos textos bíblicos do judeu-cristianismo se forem feitas associações ao complexo humano pode-se situar bâssâr como carne; a presença da alma no corpo se dando através de nefesh que é o sopro divino e princípio vital e que faz do homem um ser pensante; e neshamá como o princípio espiritual.

Desta forma também configura-se a tríade: corpo, mente e espírito.

O texto bíblico diz que Deus criou a matéria e o espírito e que conjugou “ambos” no homem indicando a ideia de que a unidade do ser humano compreende tanto o corpo como expressão da matéria quanto a alma como expressão do espírito.

No novo testamento do cristianismo a unidade do ser humano é reafirmada pela tríade: soma como corpo, psique como mente e pneuma como espírito.

Tal concepção do homem sob a ótica da psicologia não fragmenta a unidade humana e contempla a interação que constitui a natureza humana.

O enfoque da psicologia possibilita a ideia de que o homem que tem seu corpo adoecido, do homem que pensa e tem emoções e do homem que reza constituir um ser humano único.

Pensemos na situação de um ser humano que ao adoecer foi afetado por suas emoções e em razão disso pensou em rezar e então orou para auxiliar em sua cura e, desta forma, conseguir paz interior para suportar a situação.

Neste exemplo a fisiológica (corpo adoecido) afeta o psíquico (sentiu emoções e pensou em rezar) que mobiliza o espiritual  (ele ora) que, por sua vez, pode afetar o fisiológico e também o psíquico.

Essa integração dos aspectos da sua natureza indica o holismo presente no ser humano.

Ao psicólogo não cabe a validação ou não do texto bíblico ou qualquer texto sagrado, mas qualquer caminho que o auxilie no conhecimento da natureza humana é válido e valioso.

Psicologia, bíblia e a natureza humana

Paulo Rogério da Motta