Psicologia Analítica e alquimia

Carl Gustav Jung encontrou na alquimia um paralelo para a sua psicologia. Psicologia Analítica e alquimia em essência buscam a transformação e o valioso.

Psicologia Analítica e alquimia

Psicologia Analítica e alquimia


Psicologia Analítica e alquimia

O surgimento da alquimia talvez possa ser considerado a partir do momento que o homem descobriu como manipular o fogo e começou, então, a transformar a matéria, o que nos leva à pré-história.

Psicologia Analítica e alquimiaHistoricamente, a origem da alquimia é incerta, embora se possa situar o auge da alquimia entre os séculos XIV e XVI e considerar que a arte alquímica tenha tido seu início no antigo Egito, mais precisamente na cidade de Alexandria, onde foram encontrados escritos de uma técnica chamada kyniâ que tratava de processos químicos para manipulação de metais e embalsamento dos corpos dos faraós.

No Egito, a alquimia era associada ao culto do deus Toth, que na tradição romana era chamado de Mercúrio e que na Grécia antiga recebeu o nome de Hermes.

A alquimia do laboratório enseja a ideia de busca da riqueza e da imortalidade do corpo, porém a alquimia em sua essência é filosófica e lida com ideias como a busca da evolução e a imortalidade da alma.

A alquimia desenvolveu-se nos séculos XVI e XVII, sendo Paracelso um nome de referência desta fase, e praticamente desapareceu no século XVIII com as propostas iluministas que validavam somente o que podia ser explicado pela razão.

A esquecida alquimia é novamente reconhecida e retoma evidência com Carl Gustav Jung, que encontrou na alquimia um paralelo para a sua psicologia: a Psicologia Analítica.

O contato de Jung com a alquimia se deu com a leitura de um texto esotérico taoísta chinês intitulado: O segredo da flor de ouro, que lhe foi enviado por Richard Wilhelm em 1927.

Richard Wilhelm e Jung tornaram-se parceiros para o estudo da alquimia e publicaram a obra: “O segredo da flor de ouro: Um livro de vida chinês”.

Jung dedicou-se ao estudo da alquimia e incorporou conceitos alquímicos em sua psicologia com destaque para as obras: “Mysterium coniunctionis”, “Aion” e “Psicologia e alquimia”.

A descoberta da alquimia por Jung foi o encontro de sua pedra filosofal, pois com a alquimia Jung conseguiu atingir e expressar a essência de sua psicologia e o fato de estarmos aqui hoje vivenciando a sua psicologia demonstra que Jung também descobriu o elixir da vida eterna.

Psicologia Analítica e alquimia

Paulo Rogério da Motta