Porneia, o amor devorador


Amor devorador que vê no outro “algo” para satisfazer seu apetite.

Porneia é o amor mais primitivo que há e que se consuma em consumir o que ama.

Porneia - O amor devorador

Porneia


Tipo de amor:

Apetite

Objetivo deste tipo de amor:

Captativo, objetivação, redução

Frases deste tipo de amor:

Vou devorar-te

Amo-te como um animal

Porneia - O amor devorador

Porneia, o amor devorador


As outras nove faces do amor você pode saber quais são no artigo: As dez faces do amor.

A palavra pornografia tem sua raiz etimológica da palavra que vem do grego pórne, que significa “prostituta”.

Pórne significa prostituta e pornôs significa prostituto.

A palavra porneia era utilizada pelos antigos gregos quando queriam se referir ao sexo comercial.

A expressão porneia aparece vinte e seis vezes no novo testamento da bíblia e é traduzida como relações sexuais ilícitas, adultério e fornicação.

Porneia é um amor de caráter imediatista, sensualista, voraz que após seu êxtase se debilita, entorpece e envenena dando lugar à frustração.

Amor devorador, com apetite e instintivo.

A origem do amor Porneia é o início da vida do ser humano, é o amor do bebê pela mãe e a mãe é um objeto de amor e é também aquela que sacia a fome da criança.

É um amor egocêntrico que não se preocupa em consumir o outro.

O outro existe para satisfazer as suas necessidades nutritivas, afetivas e sexuais.

O outro é para aquele que ama um alimento para satisfazer sua fome.

Nas fases psicossexuais da psicanálise de Freud seria o amor existente na fase oral.

Este amor devorador na criança na fase inicial da vida é natural e positivo, porém quando um adulto ama alguém através desta face do amor é extremamente negativo.

O adulto com amor devorador enxerga que a existência do outro serve apenas para satisfazer as suas próprias carências e necessidades.

Porneia, o amor devorador é antropófago baseado na atitude de consumar e de consumir o outro.

É a forma mais primitiva de amor e se situa na escala mais baixa das formas de amar.

Porneia, o amor devorador impede o outro de fazer coisas para si, prende, entende que o outro está ali para servi-lo, corta as raízes do outro e em uma relação considera que seus desejos devem prevalecer acima de qualquer coisa.

As pessoas ansiosas para serem amadas são vítimas frequentes daqueles com o amor devorador.

Catherine Bensaid, na obra: O essencial do amor: As diferentes faces da experiência amorosa, retrata bem a face Porneia do amor em uma frase: Devoro você e, em seguida, eu o “vomito”.

Aquele que é amado somente tem utilidade enquanto é “algo” que satisfaz a fome daquele que ama e quando não mais satisfaz a sua fome deixa de ter utilidade para o amante.

O amor devorador é baseado no instinto de sobrevivência, na pulsão e no apetite e pode se expressar no desejo de reconhecimento, conforto e de consumir alimentos.

Porneia - O amor devorador

Jacques Prévert em versos faz uma demonstração do amor devorador:

Você diz que ama as flores

E as corta.

Você diz que ama os peixes

E os come.

Você diz que ama os pássaros

E os prende em gaiola.

Quando você me declara “Eu te amo”,

Eu tenho medo…

Paulo Rogério da Motta


Vídeo: As dez faces do amor


Mais de As Faces do Amor