Para ser psicoterapeuta


Para ser psicoterapeuta ou o psicólogo clínico é preciso ter certas qualidades.

Existem algumas condições básicas para que alguém possa ser um psicoterapeuta.

Ser psicoterapeuta não é para qualquer um!

Para ser psicoterapeuta

E estas condições básicas para ser um psicoterapeuta são necessárias numa perspectiva ampla no tocante às teorias, sem ser exclusiva de nenhuma.

As condições básicas aqui apresentadas servem para todo aquele que é ou deseja ser psicoterapeuta independente da escola teórica que escolheu ou vá escolher.

O que é preciso para ser psicoterapeuta

O que é preciso para ser psicoterapeuta?

A primeira condição consiste na função inicial do psicoterapeuta.

 A função a ser considerada é que inicialmente o terapeuta é um símbolo para o paciente.

Isto significa que aquele que procura o psicólogo vê nele a ajuda que precisa sem dar grande importância ao modo como vai ser ajudado.

Desta forma, o terapeuta representa para o paciente a possibilidade de ajuda e, geralmente, independente da teoria que vá usar, as necessidades dos pacientes existirão e serão igualmente um pedido de auxílio.

O psicoterapeuta tem importante missão independente da ferramenta que irá utilizar e é essencial que ele saiba que em ambos os lados, de um lado o paciente e do outro o psicólogo, estão presentes seres humanos, porém cabendo ao profissional uma grande consciência de seus próprios problemas.

A consciência de seus próprios problemas serve para evitar danos ao paciente, pois esta conscientização, além de evitar a transferência de seus próprios conflitos ao paciente, também servirá para uma mais fácil percepção de situações de conflito nos outros quando estas já foram vividas de forma semelhante por si mesmo.

É uma situação que pode ser traduzida assim: o curador que já foi ferido cura melhor!

Vemos a necessidade de humildade por parte do psicoterapeuta, pois este terá que estar bem resolvido quanto às fantasias de seu próprio poder e que ele deve estar preparado para reagir positivamente ante as suas próprias frustrações:

  • Seja pelas dificuldades inerentes do processo de psicoterapia
  • Seja pela revelação por parte do cliente de aspectos negativos do próprio psicólogo

Aqui se mostra a necessidade de segurança emocional como outro atributo do psicoterapeuta.

Outra condição básica para o exercício da arte da psicoterapia é a neutralidade por parte do terapeuta, mas que esta não seja entendida como indiferença.

O psicoterapeuta indiferente é inaceitável!

A neutralidade não pode ser erroneamente vista como a anulação dos sentimentos e vontades, mas sim, uma proposta de constituição de uma relação paciente-psicoterapeuta espontânea, que flua sem contaminação por fatores externos ou conteúdos internos do psicoterapeuta.

A psicoterapia é um encontro e uma psicoterapia eficiente acontece quando o psicoterapeuta vai se tornando cada vez mais pessoal.

Em um processo psicoterapêutico estão presentes o amor, a raiva, a frustração, o cansaço, o interesse e todo um mosaico que colore as “relações humanas”.

A psicoterapia é um espaço para o debate e para a tomada de atitudes e cabe ao terapeuta a ciência de que ele está neste campo também, mas que ele ocupa um espaço neste campo e que este campo não é seu e que ele não pode se perder neste campo.

O que é preciso para ser psicoterapeuta

O que mais é preciso?

Outras qualidades e atitudes gerais esperadas do psicoterapeuta:

  • Moderação
  • Sigilo
  • Originalidade
  • Altruísmo
  • Capacidade de percepção interior
  • Humildade
  • Ausência de qualquer tipo de preconceito
  • Flexibilidade
  • Visão ampla, aberta e profunda do mundo

Além destas destaco algumas qualidades que são ferramentas a serem utilizadas na hora do encontro com o cliente e necessárias para que aconteça o vínculo terapêutico:

  • Empatia, como a capacidade de pensar o pensamento do outro, sentir o sentimento do outro, ver com o olhar do outro e tudo isso sem fazer papel de juiz
  • Comunicação autêntica e calorosa, ou seja, o diálogo sincero e real deve existir e não a encenação. A encenação significa, por exemplo, agir “como se” estivesse sentindo amor e compreensão sendo indiferente na verdade
  • O psicoterapeuta precisa ter um conceito positivo do ser humano. Se um psicólogo achar o ser humano um pobre diabo como poderá levar alguém a um equilíbrio saudável e promover sua autoestima?

Por fim, o psicoterapeuta precisa ter como paradigma que o seu ofício consiste em lidar com a alma humana e não há nada maior ou mais valioso.

O psicoterapeuta não pode se confundir com um mecânico enxergando o ser humano como uma máquina nem com o papel de ser um remédio que cura um determinado mal. Ele é um psicólogo!

E o psicólogo não é aquele que cura.

O psicólogo é aquele que desperta o curador no outro.

Paulo Rogério da Motta


Vídeo: O que é preciso para ser Psicoterapeuta?