O papel do mito

O papel do mito está associado com a vida, a natureza humana, o sagrado, os ciclos e tanto mais.

O mito é muito mais do que literatura de entretenimento!

O papel do mito

O papel do mito e a vida


Os mitos são histórias sagradas que através de metáforas tratam as grandes questões da vida e da morte, bem como, podem estar associados:

  • Às estruturas e valores sociais
  • Aos papéis familiares e comunitários
  • às relações humanas e religiosas
  • Às leis, costumes e tradições
  • Aos ciclos da natureza

Enfim, os mitos são expressões das questões básicas e fundamentais da vida e da natureza humana.

Podemos entender, então, que o papel do mito é o de:

  • Orientar a vida
  • Indicar valores
  • Ser a expressão de imagens subjetivas do ser humano

Este papel do mito de ser a expressão de imagens subjetivas, tanto individualmente quanto coletivamente, é algo que faz parte da natureza humana e não só do homem antigo, mas do homem em qualquer tempo.

Os mitos além de expressarem as mais significativas atividades humanas também estão presentes nos mais significativos ritos, como, por exemplo, os ritos de:

  • Iniciação
  • Celebração
  • Passagem
  • Ligação com o sagrado

Os mitos, portanto, oferecem um caminho para o sagrado e também para a significação de eventos, situações e atos da vida do ser humano.

O papel do mito, dessa forma, acaba por expressar uma visão do mundo pessoal, do mundo social, como, também, do universo, de toda existência e da vida em si.

O mito é uma história que é contada numa linguagem metafórica em que o ser humano conta uma história “para” e “de” si mesmo.

Desta forma, o papel do mito é o de possibilitar uma maneira de perceber o mundo interior e o mundo exterior e sua inter-relação.

O papel do mito

Mitos como pontes


Os mitos estabelecem pontes entre:

  • O racional e o irracional
  • O sagrado e o mundano
  • A consciência e o inconsciente
  • O objetivamente perceptível e o subjetivamente transcendente

Os mitos são um tipo de literatura especial, pois não são histórias escritas apenas pelo indivíduo que as escreveu.

O mito, na verdade, é a transcrição do que está no inconsciente de todos os seres humanos.

Jung denominou este inconsciente de Inconsciente Coletivo.

Assim, os mitos são expressões de imagens coletivas presentes em todos os seres humanos.

Mitos são estímulos simbólicos para a percepção de ideias e do desconhecido.

O que não pode ser contatado diretamente pela consciência pode ser percebido por ela através dos mitos.

Portanto, o papel do mito é:

  • Oferecer significação para o viver
  • Atuar como guia psíquico
  • Estabelecer relações equilibradas entre o homem e o meio ambiente
  • Promover costumes, rituais e crenças
  • Originar valores morais e éticos
  • Possibilitar pontes para o sagrado

Por tudo isso, é possível perceber que os mitos são mais do que meras histórias.

Quando a história está em sua mente, você percebe sua relevância para com aquilo que esteja acontecendo em sua vida. Isso dá perspectiva ao que lhe está acontecendo. Com a perda disso, perdemos efetivamente algo, porque não possuímos nada semelhante para por no lugar. (Joseph Campbell, O poder do mito).