Paixão, a droga do amor

A paixão é como se fosse uma droga do amor: fonte de novas sensações e prazeres desconhecidos.

Leva o apaixonado ao êxtase e o aliena da realidade.

Paixão, a droga do amor

Paixão, a droga do amor


Quando o ser humano encontra alguém que modifica suas paisagens, dá sabor ao que é normal e suas palavras são recebidas com atenção…

Pode surgir o amor romântico!

Robert A. Johnson, em sua obra: We: A chave psicológica do amor romântico, diz:

O amor romântico é o maior sistema energético dentro da psique ocidental.

Na nossa cultura, é – mais ainda que a própria religião – a arena em que homens e mulheres tentam conseguir transcendência, plenitude, êxtase e sentido para a vida.

A paixão é um furacão psíquico!

Apareceu o “alguém”!

Para o apaixonado não é um “alguém” qualquer!

É  “O Alguém”!

Feito fonte para a sede!

A paixão é a droga do amor!

A paixão é fonte de novas sensações e prazeres desconhecidos…

Apaixonar-se é viver em êxtase!

Robert A. Johnson, diz também:

O amor romântico não significa apenas amar alguém; significa “estar apaixonado”.

Este é um fenômeno psicológico muito peculiar.

Quando estamos “apaixonados”, acreditamos ter encontrado o verdadeiro sentido da vida revelado num outro ser humano.

Sentimos que finalmente nos completamos, que encontramos as partes que nos faltavam.

A vida, de repente, parece ter atingido uma plenitude, uma vibração sobre-humana, que nos ergue acima do plano comum da existência.

A paixão é tempestuosa e nubla o céu da consciência e, por isso, aliena o apaixonado da realidade.

O apaixonar-se faz com que um veja através do outro.

Para melhor entender tal ideia basta verificar dois apaixonados se olhando.

Paixão, a droga do amor

Apaixonar-se é viver um êxtase.

Mas o que fazer quando a paixão nos toma?

Nada!

O melhor é parar e esperar os pés voltarem para o chão.

É necessário a maturidade para lidar com a força tempestuosa da paixão.

Compreende agora por que os jovens sucumbem tanto na paixão?

Há dois caminhos para a paixão:

  • Ou vira frustração
  • Ou transforma-se em amor

E quando isto acontece pode ser a fórmula para um casamento bem sucedido.

Paixão, a droga do amor

Para uma relação que se inicia pela paixão é preciso saber que ela não irá conseguir se sustentar indefinidamente

Afinal, não há êxtase eterno!

Afinal, não há tempestade que não acabe!

E se for superada a tempestade com sabedoria vem a recompensa.

O dito popular diz que “depois da tempestade vem a bonança”.

A bonança é o “amor”!

Paulo Rogério da Motta