Origem da Gestalt


A origem da Gestalt nos leva à figura de Frederick S. Perls que é considerado o pai da Gestalt-terapia, mas os precursores da psicologia da Gestalt foram Max Wertheimer, Wolfang Köhler e Kurt Kofka.

A origem da Gestalt

Max Wertheimer, Wolfang Köhler e Kurt Kofka deram início à psicologia da Gestalt baseados em estudos psicofísicos com atenção especial para a percepção e sensação do movimento.

Perls e a origem da Gestalt


Perls e a origem da Gestalt

Frederick S. Perls é o criador da Gestalt-terapia.

Segundo Perls: “uma Gestalt é uma forma, uma configuração, o modo particular de organização das partes individuais que entram em sua composição”.

Frederick S. Perls nasceu em Berlim em 1893, filho de pais judeus de classe média baixa.

Em sua autobiografia: “Dentro e Fora da Lata de Lixo”, Perls descreve-se como a ovelha negra da família, frequentemente irritado e desdenhoso em relação a seus pais, expulso da escola após ter repetido duas vezes a sétima série e envolvido em problemas com autoridades durante toda a sua adolescência.

Frederick S. Perls considerado o pai da Gestalt-terapia, foi um médico alemão interessado em neurologia e depois em psiquiatria.

Aproximou-se da Psicanálise, tendo se tornado psicanalista.

De temperamento irrequieto e muito criativo, foi desenvolvendo a sua visão psicanalítica, porém cada vez mais incompatível com a Sociedade de Psicanálise.

Chegou a ter um encontro com Freud, a partir do qual rompeu definitivamente com a Psicanálise.

Em 1952 fundou o Instituto nova-iorquino de Gestal-terapia e no início da década de 60 mudou-se para o Instituto Esalem, na Califórnia, onde conheceu Carl Rogers e Skinner, entre outros.


Trecho de “Dentro e Fora da Lata de Lixo”, de Perls

Dentro e fora da lata de lixo

Coloco minha criação

Seja ela viva ou antiquada

Tristeza ou exaltação.

Alegria e pesar como eu tive

Serão revistos;

Sentindo-me sadio e estando louco

Acolhido ou rejeitado.

Triste e caos interrompem-se

Ao invés da selvagem confusão

Formam uma significativa Gestalt

No final de minha vida.


Perls e Freud - Origem da Gestalt

Perls e Freud

As divergências entre Perls e Freud estavam relacionadas principalmente com os métodos de tratamento, mais do que com teorias sobre a importância das motivações inconscientes, a dinâmica da personalidade, os padrões de relacionamentos humanos, entre outros.

Perls acentuava a importância do exame da situação da pessoa no presente, ao invés da investigação de causas passadas como sugeria Freud.

Por outro lado, Perls concordava quanto à existência do fenômeno da transferência, encarava-o como um aspecto importante da projeção; um mecanismo neurótico ao qual atribuía grande importância.

No entanto, ele não considerava o trabalho através da transferência de importância fundamental para o processo psicoterápico, como fez Freud.

Perls discordava da colocação de Freud segundo a qual a tarefa terapêutica importante era a de liberação das repressões (catarse), após a qual o trabalho e a assimilação do material ocorrem naturalmente.


Perls - A origem da Gestalt

As ideias de Perls

Para Perls a psicoterapia é um encontro existencial que visa a autorrealização da pessoa e a Gestalt-terapia considera todo o campo biopsicossocial (organismo e ambiente) como muito importante.

Perls acreditava que a consciência do “como a pessoa se comporta a cada momento” é mais relevante para a auto compreensão e a capacidade para mudança do que uma compreensão do “porquê de um determinado comportamento”.

Perls achava que todo indivíduo, pelo simples fato de existir, tem muito material de fácil acesso ao trabalho terapêutico.