O que é mitologizar?

Mitologizar é sintonizar-se com a natureza humana.

É compreender o eco que vem do inconsciente.

É ouvir a voz dos símbolos da psique.

O que é mitologizar

O que é mitologizar?


Mitologizar é compreender que a vida flui de maneira arquetípica, que os mitos constituem a natureza humana.

Reatualizar um mito é um retorno ao tempo de Origem e este voltar atrás, ao tempo primordial, propicia a possibilidade de regeneração e renovação.

Este retorno ao Tempo de Origem ou “voltar atrás” como meio para regeneração ou renovação é hoje a técnica utilizada pela psicologia que vê neste retorno ao primordial um efeito curativo.

Este retorno ao primordial se constitui no contato com o símbolo que ao ser novamente vivenciado pelo analisando é, naturalmente, ressignificado.

Assim são os mitos!

Os mitos são forças presentes e atuantes na psique humana e sua presença não depende da vontade ou da crença do ser humano.

Os mitos constituem matéria prima para as significações da psique humana.

Mitologizar também é abrir-se para o mundo sagrado e o sagrado para ser autêntico e verdadeiramente numinoso precisa transcender o ego.

A dimensão cósmica e sagrada hoje é negada ao homem através de um determinismo de que o que é válido e verdadeiro é o que pode ser denominado de histórico ou científico.

A desmitificação passou a ocorrer quando o mito passou a ser tratado como sinônimo de mentira.

Atualmente as religiões e seguimentos espiritualistas são a válvula de escape para o ser humano poder vivenciar importantes mitos que fazem parte de sua natureza psíquica.

O que é mitologizar

As religiões e seguimentos espiritualistas encantam o ser humano, pois neles ele pode perceber-se vivenciando o sagrado, sentir-se religado a entes sobrenaturais e ter experiências transcendentes.

Assim, o ser humano tem contato com outro mundo que é diferente deste onde reina o concreto e o racional.

Mais do que o físico, há também o metafísico.

Mais do que o humano, há o sobre-humano.

Mais do que a aparência, há a essência.

Mais do que valores mensuráveis, há os valores absolutos.

Mais do que a realidade perceptível aos cinco sentidos, há a realidade absoluta que carrega o cerne e a matriz de tudo o que foi criado.

Esta outra realidade permite ao ser humano não sentir-se sozinho em si mesmo e a encontrar significações, sentidos, verdades maiores e amparo num mundo humano que se tornou desumano.

O fluxo de sua natureza humana se harmoniza com o fluxo de toda criação.

E tudo isso é a presença mítica que há na natureza humana e que Jung denominou de Inconsciente Coletivo.

Sagas, deuses, heróis, ciclos e ancestrais são revividos nos mitos e ao reviver os mitos o tempo cronológico se torna o Tempo absoluto que abriga passado, presente e futuro.