Mito

O que significa Mito?

Dicionário Junguiano: A declaração metafórica de experiências vivenciadas pela psique humana. Os mitos não são verdades científicas…

Mito – Dicionário Junguiano

Dicionário Junguiano

Mito


Segundo Marilena Chaui, na obra: Convite à filosofia, a palavra mito vem do grego, mythos, e deriva de dois verbos: mytheyo (contar, narrar, falar alguma coisa para outros) e mytheo (conversar, contar, anunciar, nomear, designar).

E, de acordo com Junito de Souza Brandão, na obra: Mitologia Grega, vol. I, a palavra mito vem do grego, miéin, manter a boca e os fechados e tem origem nos antigos mistérios de iniciação.

Também derivam da expressão miéin as palavras mystérion (mistérios) e mýstes (neófitos ou iniciados nos mistérios).

Não há consenso para o significado do mito, mas, talvez, a mais adequada seja a de que os mitos contam histórias de criações primordiais, isto é, conta histórias sobre o princípio de algo.

Jung percebeu conexão entre tendências psíquicas e a mitologia.

O mito carrega enredos metafóricos que espelham as tendências que o arquétipo carrega.

O mito antigamente era um orientador da direção da vida humana, bem como, indicava valores que se tornaram configurações psíquicas no ser humano e que Jung chamou de arquétipos.

A mitologia, assim, acaba por ser a biografia simbólica da psique da humanidade configurada desde o homem primitivo até o homem atual.

A mentalidade primitiva não inventa mitos, mas os vivência. Os mitos são revelações originárias da alma pré-consciente, pronunciamentos involuntários acerca do acontecimento anímico inconsciente e nada menos do que alegorias de processos físicos. (Carl Gustav Jung; Os Arquétipos e o Inconsciente Coletivo – § 261).

O mito significa a declaração metafórica de experiências vivenciadas pela psique humana.

Mito – Dicionário Junguiano

O ser humano é como é hoje porque uma série de eventos ocorreu, ou seja, uma história precede o surgimento de qualquer coisa.

O mito é uma jornada da transformação da consciência humana.

Todas as sociedades e todas as culturas têm a sua história alinhavada pelos mitos.

Os mitos são histórias que contam desde o nascimento do mundo até o fim dos tempos e são passados de geração para geração.

Esta herança psíquica e existência subjetiva constitui a natureza humana, não só do homem antigo, mas do homem em qualquer tempo.

Os mitos delineiam caminhos com histórias escritas em símbolos para a alma humana caminhar.

Os mitos não são verdades científicas.

Os mitos são as verdades empiricamente simbolizadas pela psique das vivências humanas.

Joseph Campbell, na obra: O poder do mito, diz:

Esses bocados de informação, provenientes dos tempos antigos, que têm a ver com os temas que sempre deram sustentação à vida humana, que construíram civilizações e formaram religiões através dos séculos, tem a ver com os profundos problemas interiores, com os profundos mistérios, com os profundos limiares da travessia, e se você não souber o que dizem os sinais ao longo do caminho, terá de produzi-los por sua conta.

Mitos expressam as vivências humanas, por isso também expressam a natureza humana, e tudo o que foi vivido por nossos ancestrais tornou-se uma herança psíquica do ser humano na forma de um Inconsciente Coletivo.

Paulo Rogério da Motta