Mecanismo de defesa na Psicanálise


Mecanismo de defesa na Psicanálise é um dos principais conceitos de Freud.

Mas o que é mecanismo de defesa?

Quais são os principais?

Qual a finalidade de cada um?

Mecanismo de defesa na Psicanálise


O que é mecanismo de defesa na Psicanálise?

Mecanismo de defesa é uma estratégia do ego para proteger a personalidade contra o que ele considera ameaça.

O mecanismo de defesa é uma distorção da realidade utilizada por todas as pessoas e podem ser indicação de possíveis sintomas neuróticos.

A percepção de algo, seja no mundo interno ou no mundo externo, pode ser algo psiquicamente desconfortável e provocar desprazer.

O ego para evitar este desprazer distorce ou então suprime a realidade para afastar estes conteúdos psíquicos desagradáveis.

O mecanismo de defesa, mesmo sendo uma estratégia do ego, é um processo inconsciente e, desta forma, acontece de maneira involuntária, ou seja, não depende da vontade da pessoa.

Freud dizia que a finalidade do mecanismo de defesa é a proteção da psique e a supressão ou distorção do conteúdo considerado perigoso pode se dar no contato tanto com conteúdos reais quanto imaginários.

O mecanismo de defesa na Psicanálise

Quais são os principais mecanismos de defesa?

Os principais mecanismos de defesa são:

  • Repressão
  • Negação
  • Racionalização
  • Formação reativa
  • Isolamento
  • Projeção
  • Regressão

Estes são os principais mecanismos de defesa considerados patogênicos.

Estes mecanismos de defesa atuam com propósitos específicos.

Há mecanismo de defesa que:

  • Evita a realidade (repressão)
  • Exclui a realidade (negação)
  • Redefine a realidade (racionalização)
  • Inverte a realidade (formação reativa)
  • Divide a realidade (isolamento)
  • Escapa da realidade (regressão)
  • Coloca sentimentos na realidade (projeção)

A sublimação é um tipo especial de mecanismo de defesa por ser uma defesa bem sucedida da psique que resolve e elimina a tensão.

Veremos detidamente cada mecanismo de defesa citado e ainda alguns mais.

O mecanismo de defesa na Psicanálise

Cada mecanismo de defesa

A seguir uma lista com a finalidade de cada mecanismo de defesa:


Compensação

É o processo psíquico em que o indivíduo se considera deficiente em algo e então compensa essa deficiência por meio de outro aspecto que possui criando uma imagem distorcida de si ou para si fazendo deste mecanismo de defesa um trunfo que o faz se sentir engrandecido.


Deslocamento

É o mecanismo de defesa pelo qual o todo é representado apenas por uma parte ou é representada a parte como sendo o todo e isso sem compromisso nenhum com a lógica.

Este mecanismo de defesa também pode fazer com que uma ideia seja representada por outra ideia que tenha o mesmo acento emocional.


Introjeção

Introjetar algo psiquicamente é algo que exprime afirmação (eu me alimento) e o ego utiliza a introjeção diante do que lhe é agradável, sendo a introjeção, então, algo relacionado à satisfação.

Porém, a incorporação de algo externo faz com que o objeto introjetado seja algo, ou seja, um conteúdo psíquico, isto é, algo subjetivo e, sendo assim, o objeto em si é destruído objetivamente.

Exemplo: um vaso é um vaso no mundo objetivo, mas se um vaso foi dado por alguém querido ele ganha um significado subjetivo e deixa de ser objetivamente apenas um vaso. O sentido objetivo foi devorado.

O ego ao perceber este fato aprendeu a usar a introjeção para fins hostis utilizando a introjeção como um mecanismo de defesa como executora de impulsos destrutivos.

A identificação através da introjeção é o tipo mais primitivo de relação com os objetos.


Expiação

É o mecanismo de defesa em que o indivíduo quer pagar pelo seu erro imediatamente para se livrar do desprazer psíquico que sente.


Fantasia

A fantasia é um mecanismo de defesa em que é criado um roteiro imaginário com o propósito de realização de uma necessidade ou desejo.

Isto é, o indivíduo concebe uma situação em sua mente que satisfaz uma necessidade ou desejo ou que não pode ser satisfeita na vida real.


Formação Reativa

É o mecanismo de defesa que se caracteriza pela adoção de uma atitude de sentido oposto a um desejo que foi recalcado.

A Formação Reativa é o processo psíquico em que um impulso indesejável é mantido inconsciente e é expressado em seu sentido oposto.

Exemplos: superproteção, ternura excessiva e atitudes exageradas.

Um exemplo prático é o da mãe que inconscientemente tem raiva do filho por algum motivo (como o de vê-lo inconscientemente como aquele que lhe roubou a sua liberdade), mas que ela não se vê podendo admitir tal raiva e então de forma reativa superprotege este filho.


Identificação

É o mecanismo de defesa em que a pessoa assimila um aspecto ou característica de outra pessoa e passa a se apresentar conforme o modelo dessa outra pessoa.


Isolamento

É o mecanismo de defesa típico das neuroses obsessivas.

Este mecanismo de defesa atua de forma a isolar um comportamento ou pensamento fazendo com que as demais ligações com os outros pensamentos ou com o conhecimento de si mesmo fiquem totalmente interrompidas.

Desta forma, os demais pensamentos e comportamentos são excluídos do consciente.

O mecanismo de defesa do isolamento gera:

  • Pausas no decurso do pensamento
  • Fórmulas e rituais
  • Ações que criam um hiato na sucessão temporal

Negação

Este mecanismo de defesa consiste na tendência a negar sensações dolorosas e sentimentos de dor.

A negação é muito comum nas crianças pequenas e em situações altamente dolorosas como a notícia de uma traição ou a morte de alguém querido.


Projeção

Este mecanismo de defesa acontece quando o ego não consegue aceitar algo que é seu e então atribui o que é inaceitável para si no outro.

O indivíduo projeta algo de si no mundo externo sem perceber que aquilo que foi projetado é algo seu que considera indesejável.

Um exemplo prático é o da pessoa que fala: “você reparou como aquela pessoa é fofoqueira e está sempre falando pelas costas dos outros?”. A pessoa acabou de se mostrar fofoqueira, mas projetou esta característica indesejada no outro.


Racionalização

Este mecanismo de defesa acontece quando o indivíduo constrói uma argumentação intelectualmente aceitável e que justifica a deformação da realidade ou da verdade, ou seja, algo que “justifica” o seu pensamento ou comportamento.

A racionalização seria como uma mentira inconsciente que se põe no lugar da verdade que não se quer aceitar.


Regressão

É o mecanismo de defesa em que o ego recua para um estágio anterior para fugir de situações conflitivas atuais.

Neste mecanismo de defesa a pessoa retorna a etapas anteriores de seu desenvolvimento.


Repressão

É o mecanismo de defesa que atua de forma a fazer desaparecer da consciência os impulsos ameaçadores; os sentimentos, os desejos ou qualquer conteúdos tidos como desagradável ou inoportuno.


Sublimação

Este é o mais eficaz dos mecanismos de defesa porque canaliza os impulsos libidinais para uma postura socialmente produtiva e aceitável.

A sublimação acontece quando a libido com finalidade sexual ou agressiva é direcionada para fins nobres, geralmente para finalidades artísticas, intelectuais, sociais ou culturais.


Substituição

Este mecanismo de defesa é uma forma de deslocamento em que um objeto que tem valor emocional mas que não pode ser possuído é inconscientemente substituído por outro que tenha alguma similaridade ao proibido.