A lenda do dia e da noite


A lenda do dia e da noite é uma lenda brasileira dos índios Karajás.

A lenda do dia e da noite

A riqueza simbólica desta lenda nos permite um mergulho nas águas do Inconsciente Coletivo.

No Gênesis bíblico no princípio era o nada e havia somente a noite escura.

Para os índios Karajás no princípio do mundo só havia o dia!

A lenda do dia e da noite

A lenda do dia e da noite


No começo do mundo só havia dia.

A noite estava adormecida nas profundezas das águas com Boiúna, uma cobra grande que era senhora do rio.

A filha de Boiúna, uma moça muito bonita, havia se casado com um rapaz de um vilarejo, nas margens do rio.

Na hora de dormir, ela não conseguia e explicava para o marido:

– É porque ainda não é noite!

Um dia, a moça pediu ao marido que fosse buscar a noite na casa de sua mãe.

Ele mandou três amigos às profundezas do rio para falar com Boiúna.

Boiúna colocou a noite dentro de um caroço de tucumã, uma fruta da palmeira, e mandou entregar como se fosse um presente para sua filha.

Os três amigos carregavam o tucumã quando ouviram o barulho de sapinhos e grilos, bichinhos que só cantam à noite.

Curiosos, resolveram abrir o tucumã para ver que barulho era aquele.

Quando o tucumã foi aberto, a noite escapou e tomou conta de tudo.

O mundo virou uma escuridão só.

A filha de Boiúna viu o que tinha acontecido e tentou separar a noite do dia.

Pegou dois fios, enrolou o primeiro, pintou de branco e disse:

– Você será Cujubim e vai cantar sempre que o dia nascer.

Então, soltou o fio, que se transformou em pássaro, e saiu voando.

Depois, enrolou o outro fio, jogou cinza sobre ele e disse:

– Você será Coruja, e cantará quando a noite chegar. A coruja saiu voando.

A partir desse dia, o mundo passou a ter dia e noite.


Vídeo: A lenda do dia e da noite


Inspire-se com…

Vídeo: Passeio de Estrelas