Inconsciente Pessoal

O que significa Inconsciente Pessoal?

Dicionário Junguiano: Consiste em experiências que foram conscientes.

É a camada superficial do inconsciente.

Inconsciente Pessoal – Dicionário Junguiano

Dicionário Junguiano

Inconsciente Pessoal


O inconsciente na psicologia junguiana compreende o inconsciente coletivo e o Inconsciente Pessoal.

O Inconsciente Pessoal é constituído de conteúdos que já foram conscientes.

Parte dos conteúdos que foram rejeitados pela consciência são conteúdos que não atenderam aos ideais da consciência, incompatíveis com a moralidade do indivíduo, discordantes do contexto social em que vive o indivíduo.

Isto é, conteúdos que destoam dos objetivos da consciência e que, assim, são separados do contato com o ego.

Jung assim o define:

Daqui se segue que o inconsciente é o receptáculo de todas as lembranças perdidas e de todos aqueles conteúdos que ainda são muito débeis para se tornarem conscientes. Estes conteúdos são produzidos pela atividade associativa inconsciente que dá origem também aos sonhos. Além destes conteúdos, devemos considerar também todas aquelas repressões mais ou menos intencionais de pensamentos e impressões incômodas. À soma de todos estes conteúdos dou o nome de Inconsciente Pessoal. (Carl Gustav Jung; A natureza da psique – § 430).

Assim, o Inconsciente Pessoal consiste em experiências que anteriormente foram conscientes, porém agora se encontram reprimidas pela não aceitação do ego, esquecidas e também em experiências passadas fracas demais para deixar uma impressão no indivíduo.

Inconsciente Pessoal – Dicionário Junguiano

É a camada superficial do inconsciente e mais próxima da consciência e, portanto, adjacente ao ego.

[…] a consciência é relativa, porque seus conteúdos são ao mesmo tempo conscientes e inconscientes, isto é, conscientes sob um determinado aspecto, e inconscientes sob um outro aspecto. Como todo paradoxo, esta afirmação não parece de fácil compreensão. Devemos, todavia, habituar-nos ao pensamento de que entre a consciência e o inconsciente não há demarcação precisa, com uma começando onde o outro termina. Seria antes o caso de dizer que a psique forma um todo consciente-inconsciente. No que diz respeito à zona-limite que denominei de “inconsciente pessoal” […].(Carl Gustav Jung; A natureza da psique – § 397).

Quando conteúdos ou ideias carregados de emoção se aglomeram ou agrupam no Inconsciente Pessoal surge o que Jung chamou de complexo.

O ego é um complexo.

Paulo Rogério da Motta