Heróis, deuses e monstros nos mitos

Heróis, deuses e monstros permeiam mitos e a psique humana.

Representam a dicotomia do viver humano, fruto das dualidades da criação.

Luz e escuridão.

Bem e mal.

Heróis, deuses e monstros

Heróis, deuses e monstros nos mitos


Este artigo é baseado na introdução da obra: Heróis, deuses e monstros da mitologia grega, de Bernard Evslin.

O autor relata que os mitos foram as primeiras histórias que ouviu na vida quando contava com quatro anos de idade e seu tio lia para ele lia trechos originais da Ilíada e da Odisseia.

As histórias contadas por Hesíodo, Heródoto, Homero, Virgílio e Ovídio fascinaram o autor e ele passou a conta-las também.

Heróis, deuses e monstros fascinaram o autor e este fascínio se estende ao ser humano em geral.

São presenças que, além de míticas, são psíquicas. Vivem na psique humana como representações de arquétipos.

Na mitologia grega, heróis e monstros são gerados pelos deuses, assim como o bem e o mal também são.

Heróis, deuses e monstros

O nascimento de um monstro, uma criatura horrível e perigosa, em geral, desperta a ira de deuses.

Os monstros preferem a escuridão.

O autor cita exemplos:

Quanto aos monstros, eles preferem a escuridão.

Onde vivem as Górgonas, por exemplo, é sempre inverno.

Cérbero é um cão de três cabeças que guarda os portões do sombrio Tártaro, a morada dos mortos.

Cila e Équidna, as terríveis mulheres-serpente, escondem-se em cavernas no fundo do mar, engolem as marés, provocam naufrágios, capturam os marinheiros e quebram seus ossos.

O Minotauro vive em um labirinto de sombras.

Assim, quando saem à captura desses monstros da escuridão, os heróis são obrigados a deixar a luz do sol, e é aí que começam os problemas.

Os heróis são criaturas solares iluminadas pelas virtudes que empreendem odisseias em que voam, desbravam locais inóspitos, navegam em mares bravios, enfrentam obstáculos terríveis e seres poderosos.

Heróis e monstros representam a dicotomia do viver humano, fruto das dualidades da criação.

A luz e a escuridão.

O bem e o mal.

Entre os dois polos se desenvolve o viver humano e se configuram a ética e as religiões.

Nos mitos as dualidades são apresentadas através de símbolos e personagens.

Heróis, deuses e monstros são as vozes do inconsciente que chegam aos ouvidos da consciência, ou seja, são como histórias fascinantes contadas por um tio ao seu pequeno sobrinho.

Heróis, deuses e monstros

Paulo Rogério da Motta