As funções do mito

As funções do mito vão do micro ao macrocosmo.

Sem nenhum propósito de ser racional, o mito busca no simbólico a essência da natureza e do saber.

As funções do mito

As funções do mito


O mito está associado ao misterioso e relata histórias que não se adequariam ou não poderiam ser escritas pelo discurso lógico da consciência.

Os mitos são como poesias que versejam metáforas e desvelam o mistério através dos símbolos.

Os mitos mostram o que é e como é sem a delimitação do racionalismo.

O contato com o mito proporciona a convivência com o significado, um elo com a essência da natureza humana e com enredos que são comuns em todas as almas humanas.

Os mitos falam da criação do mundo não para serem científicos, mas para acomodar na psique humana o deslumbramento da criação.

Os mitos falam de deuses não para ocuparem o lugar das religiões, mas para expressar os arquétipos que ligam o humano ao sagrado.

E, segundo Joseph Campbell, o mito atende a quatro funções:

  • Metafísica
  • Cosmológica
  • Sociológica
  • Psicológica

Função metafísica

Busca as explicações últimas sobre a realidade; a visão da essência das coisas e que vai além da aparência; a concepção que ultrapassa o discurso lógico ou o logos.


Função cosmológica

Esta função do mito é a que dá sentido à ordem do mundo que não pode ser explicada pela razão e que desperta na mente um senso de deslumbramento do homem e do mundo.


Função sociológica

Procura validar e apoiar uma ordem moral específica, ou seja, as mitologias atendem o campo de determinada cultura e são expressas através da linguagem e dos símbolos daquela cultura.

Esta função do mito funciona como um papel estruturante na sociedade humana e tem importância na vida diária por meio da cultura por meio de tradições e ritos de passagem.


Função psicológica

Nesta função do mito, a imagem é tida como a linguagem fundamental da alma e expressam a natureza humana.


Enfim, os mitos são caminhos para o sagrado, para o mundo interno do ser humano e ponte para o micro e para o macrocosmo.

Os mitos simbolicamente falam de questões humanas, situações cotidianas e sociais e do mais simples ao mais complexo, do superficial ao transcendente.

Como disse Michael Ayrton, em Midas Consequence: “Vivemos pelo mito e o incorporamos, e ele, nos incorpora.”.

Paulo Rogério da Motta