Função Sentimento

O que significa Função Sentimento?

Dicionário Junguiano: Função que avalia e faz uma valoração do objeto. Atua na vida pela lógica do coração…

Função Sentimento – Dicionário Junguiano

Dicionário Junguiano

Função Sentimento


Dentro do modelo dos Tipos Psicológicos, Jung estabeleceu quatro funções para a orientação da psique: pensamento, sentimento, sensação e intuição.

O sentimento é a função que avalia e faz uma valoração do objeto.

A reação de prazer e desprazer do sentimento corresponde ao máximo grau de subjetivação do objeto. O sentimento coloca o sujeito e o objeto em tão estreita relação, que o sujeito deve escolher entre a aceitação e a recusa. (Carl Gustav Jung; A natureza da psique – § 256).

O indivíduo que utiliza de forma predominante a função sentimento para suas percepções, escolhas e atuação na vida terá, consequentemente, o pensamento como função inferior.

As funções: sensação e intuição serão suas funções auxiliares.

A existência de um sentimento é tão indiscutível quanto a de um pensamento; podemos fazer a experiência tanto de um como de outro.  (Carl Gustav Jung; Ab-reação, análise dos sonhos e transferência – § 531).

Caso a atitude psicológica seja a extroversão então o tipo psicológico será o tipo “sentimento extrovertido” e caso a atitude seja a introversão então o tipo psicológico será “sentimento introvertido”.

O sentimento classifica os objetos de acordo com a atração que lhes causa.

A aceitação ou rejeição do objeto se dá pela classificação deste como agradável ou desagradável.

O indivíduo que tem a função sentimento como função superior é aquele sujeito que não gosta de parar para pensar, que atua na vida mediante uma lógica sim, mas uma lógica do coração.

Função Sentimento – Dicionário Junguiano

É aquela pessoa que ao ser questionada por que fez tal escolha, ela acredita que a resposta “escolhi isso porque eu gosto” é suficiente para justificar sua decisão e é difícil para esta pessoa compreender por que o outro não entendeu a sua escolha.

O sentimento avalia os objetos por meio de valores afetivos e sua caracterização se dá por meio de opostos: gosto e não gosto, belo e feio, aceitável e inaceitável, etc..

Paulo Rogério da Motta