Espiritualidade e Psicologia – Os novos passos

Espiritualidade e Psicologia convergem cada vez mais ao se compreender o ser humano como um ser espiritual.

Novos passos estão sendo dados.

Espiritualidade e Psicologia - Os novos passos


Espiritualidade e Psicologia: Os novos passos

A ciência avança e assim como houve tempo em que o planeta Terra foi considerado plano e sendo o centro de todo o universo.

Houve na psicologia um tempo em que o psiquismo era investigado considerando-se apenas o consciente e Freud veio a indicar um novo caminho ao proclamar a existência do inconsciente.

Hoje novos passos precisam e estão sendo dados e a física quântica é um exemplo de novos caminhos que se abrem para a ciência e na psicologia a espiritualidade é algo que pode trazer uma nova orientação, pois a expansão do homem de um “eu pessoal” para um “eu espiritual” apontará a necessidade de uma compreensão mais ampliada do homem.

A física quântica ao observar os fenômenos atômicos afirma que o entendimento destes só é possível levando-se em consideração a consciência do observador e, desta forma, ao ser o observador o homem com sua presença é agente ativo do fenômeno.

Tal ideia encontra ressonância nas experiências místicas onde a consciência do homem vivencia a relação dele com todo o universo e na percepção desta interdependência o homem transcende a si mesmo.

Na psicologia, o inconsciente proposto por Freud será complementado pelo inconsciente espiritual proposto por Frankl e haverá espaço tanto para uma religiosidade inconsciente quanto para a busca inconsciente de Deus e então o homem encontrar num setting psicoterapêutico também um caminho para a busca de sua totalidade e a psicoterapia será ainda mais uma ferramenta para o autoconhecimento e o autodesenvolvimento do ser humano.

Ao psicólogo não caberá o papel de crença ou conversão religiosa, mas caberá o papel de compreender o seu cliente através de uma empatia plena, irrestrita e verdadeiramente transcendente, pois havendo resistências egoicas provindas de suas crenças ou descrenças no psicoterapeuta este se verá impossibilitado de compartilhar a condição existencial do outro.

A ampliação do homem de um ser que deseja para um ser que também tem aspirações naturais e latentes de espiritualidade possibilitará significações mais elevadas da existência humana que ocasionará um novo sentido para a sua vida.

A alma não será mais um assunto velado pela sua impossibilidade de ser material e a espiritualidade deixará de ser um campo minado para a ciência.

Paulo Rogério da Motta