As escolas da psicologia junguiana

As escolas da psicologia junguiana diferem quanto ao foco teórico e prático e são denominadas pós-junguianas.

Muda-se o corpo, mas a alma junguiana permanece.


Vídeo: As escolas da Psicologia Junguiana


As escolas da psicologia junguiana


Jung não apreciava uma sistematização do conhecimento e muito menos a situação de alguém ser um “junguiano”.

Jung chegou, inclusive a dizer:

Eu só posso esperar e desejar que ninguém se torne “junguiano”. Eu não defendo uma doutrina, mas descrevo fatos e chamo a atenção para certas opiniões que considero dignas de discussão… Eu deixo qualquer pessoa livre para lidar com os fatos a seu próprio modo, uma vez que eu também reclamo essa liberdade para mim.

Porém, a teoria elaborada por Jung se consolidou como escola de psicologia e, a partir dela, outras escolas se originaram mantendo ligação e se sustentando em sua criação.

As escolas da psicologia junguiana

Configurou-se assim uma escola de psicologia junguiana e as que derivaram de seu campo de conhecimento sendo denominadas de pós-junguianas.

As escolas pós-junguianas apresentam algumas diferenças teóricas da psicologia original de Jung que resultam em algumas diferenças na prática psicoterapêutica, bem como, no foco que sustenta a base teórica.

Atualmente existem três principais escolas de Psicologia Analítica:

  • Clássica
  • Desenvolvimentista
  • Arquetípica

Esta classificação das escolas é de Andrew Samuels e está presente em sua obra: Jung e os Pós-Junguianos.

As escolas da psicologia junguiana


Escola Clássica

O foco teórico é o conceito de Self e o processo de individuação.

O foco da prática clínica é a experiência e busca do Self.

Baseia-se na teoria e nos métodos de trabalho elaborados por Carl Gustav Jung.

Alguns autores que são referências desta escola: Marie Louise Von Franz e Edward Edinger.


Escola Desenvolvimentista

O foco teórico é o desenvolvimento da personalidade.

O foco da prática clínica é a análise da transferência e contratransferência.

Conectada com a teoria da psicanálise contemporânea e valorizando o desenvolvimento da personalidade desde a primeira infância.

Também pode ser designada como escola evolutiva.

Alguns autores que são referências desta escola: Michael Fordham e Eric Neumann.


Escola Arquetípica

O foco teórico é o conceito dos arquétipos.

O foco da prática clínica é o exame das imagens particularizadas dos arquétipos.

A partir do conceito de Jung explora, analisa e interpreta a psique através dos arquétipos.

Alguns autores que são referências desta escola: James Hillman e Wolfgang Giegerich.


Paulo Rogério da Motta