O encontro de Jung com Einstein


O encontro de Jung com Einstein é relatado por Joseph Campbell.

O curioso encontro serve como reflexão sobre as desvantagens da especialização.

O encontro de Jung com Einstein

Simplesmente complexo


Joseph Campbell, no prefácio da obra que foi organizador: Mitos, sonhos e religião: Nas artes, na filosofia e na vida contemporânea; comenta como a especialização de alguém em determinada área pode fazer o simples ficar algo bastante complexo.

Campbell conta:

Certa vez perguntei a um jovem físico qual era a temperatura da sala em que estávamos e ele disse: “Em que parte da sala? Aqui onde estou? Aí onde você está? Lá no teto? Ali perto da janela? Não há nada como a temperatura desta sala.” — Muito bem! Mas se aquele monstrinho da sabedoria fosse um físico um pouco menos metafísico, teria dado uma resposta decente à moda antiga e eu saberia se estava tremendo de frio ou de febre.

Considera o autor que aquele que se especializa em determinada área de conhecimento acaba por ser absorvido pelo seu próprio saber e se desvincula e se aliena dos demais saberes da vida.

Hoje, alguém que é especialista em alguma área de conhecimento pode considerar tudo mais como senso comum e o comum a todos é o incomum a ele.

Uma atitude assim coloca o especialista como peixe fora da água nas demais coisas do mundo que não fazem parte de sua área de conhecimento.

Ao dissertar sobre o que estamos aqui dissertando é que Campbell contou o encontro de Jung com Einstein.

O encontro de Jung com Einstein

O encontro de Jung com Einstein

Segundo Joseph Campbell


Carl Jung relata uma conversa divertida com Albert Einstein:

O encontro de Jung com Einstein

Quando ele estava começando a trabalhar na teoria da relatividade, vinha frequentemente à minha casa e eu o bombardeava com perguntas sobre a nova teoria.

Não tenho jeito para matemática e imaginem o problema que o pobre coitado tinha para me explicar a relatividade.

Ele não sabia como explicar.

Diante da dificuldade dele, eu me sentia insignificante, queria me afundar no chão.

Até que um dia ele me perguntou alguma coisa de psicologia e foi a minha vingança.

A especialização — Jung acrescenta — é uma grande desvantagem; o aprofundamento é de tal ordem que você não consegue mais explicar.


Interessante o quanto é fácil nos perdermos em nós mesmos.

Talvez, por isso, o propósito maior da psique humana seja a busca de si mesmo.

Abre-se a janela do inconsciente para a Persona entrar, ela entra, fecha a porta e deixa quem se realmente é do lado de fora!

Paulo Rogério da Motta


Vídeo: O encontro de Jung com Einstein