Consciência

O que significa Consciência?

Dicionário Junguiano: A consciência permite ao ser humano orientar-se na vida e se adaptar às situações de vida…

Consciência – Dicionário Junguiano

Dicionário Junguiano

Consciência


A consciência permite ao ser humano ter a ciência do que está à sua volta e também ter a ciência de si mesmo.

Também permite ao ser humano orientar-se na vida e se adaptar às situações de vida.

É justamente a existência de uma consciência individual que torna o homem consciente não só de sua vida exterior mas também de sua vida interior. (C. G. Jung; A natureza da psique – § 340).

É a função que possibilita a relação dos conteúdos psíquicos com o ego.

A consciência é um intervalo num processo psíquico contínuo; provavelmente é ponto culminante que exige considerável esforço fisiológico e por isso tende a desaparecer em questão de dias. O processo psíquico que está na raiz da raiz da consciência é automático; não sabemos de onde se origina nem para onde se encaminha. (C. G. Jung; A natureza da psique – § 227).

Toda experiência humana é vivida psiquicamente e o agente da consciência é o ego, desta forma, o ego é o centro da consciência.

As únicas coisas do mundo que podemos experimentar diretamente são os conteúdos da consciência. (C. G. Jung; A natureza da psique – § 284).

Consciência – Dicionário Junguiano

O processo de conscientização vem a ser, então, o caminho para a relação do homem tanto com o mundo que há fora de si como com o mundo que há dentro de si.

E partindo do exposto é possível perceber que o processo de conscientização não consiste somente no contato do homem com o que está fora dele, mas, também, na construção do que está fora dele em algo psíquico dentro dele.

[…] a função da consciência é não só a de reconhecer e assumir o mundo exterior através da porta dos sentidos, mas traduzir criativamente o mundo exterior para a realidade visível. (C. G. Jung; A natureza da psique – § 342).

Todo conteúdo psíquico para se tornar consciente tem que, obrigatoriamente, relacionar-se com o ego e é o ego que permite ao ser humano ter uma coesão psíquica, pois é o ego que estabelece uma identidade psíquica ao indivíduo e também a ideia de continuidade, ou seja, o indivíduo é a mesma pessoa todos os dias.

E o ego é o sujeito da consciência, por isso, ele é o centro da consciência.

Paulo Rogério da Motta