Biopsicossocial e espiritual

Biopsicossocial e espiritual, assim é o ser humano.

A exclusão do espiritual impede que a sua integridade seja contemplada.

Há a capacidade de transcender.

Biopsicossocial e espiritual

Biopsicossocial e espiritual


A integridade do ser humano se dá no estabelecimento do homem como ser espiritual e o homem como totalidade tem que ser compreendido como um ser biopsicossocial e espiritual.

O espiritual aqui é compreendido como aquilo que não é somente epifenômeno psicofísico.

É a natureza espiritual do ser humano que permite que ele dê sentido a tudo com o qual tenha contato e estabeleça símbolos para as coisas.

E é assim que o ser humano dá significado ao que apreende na sua vida.

O que é objetivo e o que é concreto é internalizado de forma subjetiva.

É desta forma que uma imagem e uma música sejam mais do que cores e sons e que transcendam a sua condição concreta de existência e se tornem experiências transcendentais ao ser humano.

A dimensão espiritual do ser humano permite que ele transcenda a si mesmo e consiga que os significados e os valores sejam fundamentais em sua existência.

Na natureza humana estão presentes aspectos físicos; aspectos instintivos que faz com que responda às necessidades motivadas por satisfação, poder e prestígio.

Mas também na natureza humana há a capacidade de autorrealização e de transcender o psicofísico.

Biopsicossocial e espiritual

Mais do que máquina pensante


A concepção de um homem somente concreto, fruto da hereditariedade genética, manipulado por condicionamentos e pelo contexto social e movido por impulsos e desejos cristalizou a ideia do ser humano como uma máquina pensante desprovida de alma.

Diante de tal contexto o que é espiritual passou a ser negligenciado e a espiritualidade humana recebeu o rótulo de “não existente” ou “não importante”.

E, assim como uma máquina, o ser humano passou a ser concebido como algo material movido por mecanismos.

Por ser papel da psicologia estudar e buscar compreender o ser humano em sua totalidade, ou seja, em “todos os seus aspectos”, a espiritualidade deve ser entendida como uma das dimensões no homem ao lado da dimensão somática e da dimensão psíquica.

Conceber o homem como um ser psicofísico  e social representa enxergá-lo somente como um ser pessoal, mas há que se considerar o ser humano em uma dimensão mais profunda e concebê-lo como um ser espiritual.

Enfatizar somente o corpo ou somente a mente fragmentará a unidade humana e a visão do ser humano como um ser psicofísico não espelha a sua real e essencial natureza.

Paulo Rogério da Motta