Viver é uma aventura do espírito


A aventura do espírito tem um nome: vida.

A meta do intelecto: desvendar as leis e o mundo.

O ser humano vive esta aventura buscando a si mesmo num mundo de todos.

Viver é uma aventura do espírito

A aventura do espírito


O espírito desperta o interesse humano e seu estudo atualmente ultrapassa os limites da religião e da filosofia e alcança a ciência.

Sobre o espírito, Jung, na obra: “Fundamentos da psicologia analítica” diz que o espírito (spiritus, pneuma), em seu caráter arquetípico; significa ar, vento, respiração e estes são agentes dinâmicos que movem o ser humano e utilizando a alusão do vento é possível se dizer que penetram o homem como acontece na respiração e o infla.

Considerando o pensamento de Jung pode-se conceber que o espírito preenche o ser humano e o move na vida e, partindo dessa premissa,  a espiritualidade é algo inerente e significativo no ser humano.

Sendo o espírito tudo isso podemos entender que viver é uma aventura do espírito.


Vídeo: Espiritualidade


Espiritualidade e natureza humana

Viver é uma aventura do espíritoÉ possível entender que a espiritualidade é parte integrante da natureza humana e que tem importante presença no modo como o ser humano percebe e apreende o mundo, além da espiritualidade ser também uma forma dele se expressar no mundo, tendo como exemplo para tal, a religiosidade.

Valdemar Augusto Angerami-Camon, no capítulo: “De espiritualidade, de ateísmo e de psicoterapia”, da obra: “Espiritualidade e Prática Clínica” comenta que a espiritualidade está presente na busca de Deus ou do sagrado pelo homem, mas ela não se encerra somente nesta busca.

O autor salienta que a espiritualidade é encontrada em qualquer movimento em que o homem busque superar a si mesmo ou obstáculos em sua vida e nestas buscas o homem busca a transcendência de si mesmo e da sua condição existencial.

Pelo que foi dito pelos dois autores é possível considerar que o espírito move o ser humano, quer ele acredite ou não em sua existência e a espiritualidade do ser humano é que faz com que este se importe que a vida tenha um sentido.

A busca de sentido na vida, por sua vez, faz com que o ser humano busque o sagrado, procure amar e ser ético em sua atuação na vida para que esta seja mais do que um simples processo de sobrevivência e seja uma vivência com significado.

O ser humano, mesmo sem perceber, delineia o seu livre-arbítrio e busca transcender a si mesmo devido à sua natureza espiritual.

Não é uma questão de crença e sim de essência, de sua natureza.

A essência que o faz ser humano e a própria manifestação humana da vida e na vida advém de seu espírito.

Este enfoque dá sentido ao que foi dito por Teilhard de Chardin:

“Não somo seres humanos passando por uma experiência espiritual, somos seres espirituais passando por uma experiência humana.”.

Neste contexto é possível observar que a vivência da espiritualidade do indivíduo se dá não somente nos momentos de sua vida destinados exclusivamente à espiritualidade como, por exemplo, aquele em que objetivou trilhar uma senda espiritual.

A vivência da espiritualidade acontece também nas situações cotidianas que se apresentam como oportunidades para sua evolução, o que faz com que a espiritualidade esteja presente nas mais diversas situações e exercendo influência sobre as atitudes e comportamentos humanos.


Veja também…

Vídeo: Mensagem – Vida