Anima

O que significa Anima?

Dicionário Junguiano: É uma presença feminina inconsciente presente em todo ser humano do sexo masculino…

Anima – Dicionário Junguiano

Dicionário Junguiano

Anima


Jung postulou uma estrutura inconsciente que representa a parte sexual oposta de cada indivíduo.

Ele denomina tal estrutura de Anima no homem e animus na mulher.

Propus o termo Anima, porque o mesmo deve designar algo de específico para o qual o vocábulo “alma” é demasiadamente geral e vago. O fato que se exprime no conceito de Anima é um conteúdo sumamente dramático do inconsciente. Podemos descrevê-lo em linguagem racional e científica, mas nem de longe exprimiríamos seu caráter vital. (Carl Gustav Jung; AION: Estudos sobre o simbolismo do Si-Mesmo – § 25).

Em outras palavras, ao viver com a mulher ao longo das épocas, o homem se feminilizou e configurou em sua psique uma imagem arquetípica da mulher.

Anima – Dicionário Junguiano

É uma presença feminina inconsciente presente em todo ser humano do sexo masculino e que é responsável pelas projeções em figuras femininas.

Inicialmente a Anima é reconhecida na figura da mãe e depois se estende às demais mulheres.

Ela lhe pertence, esta imago da mulher: É a fidelidade, que nem sempre deve guardar em determinadas circunstâncias, por causa da própria vida. É a compensação absolutamente necessária para os ricos, as fadigas e os sacrifícios da existência, que terminam em decepções e desenganos. Ê o consolo que compensa as agruras da vida, mas é também, apesar de tudo, a grande sedutora, geradora de ilusões em relação a esta mesma existência, ou melhor, em relação não só a seus aspectos racionais e utilitários, por exemplo, como também a seus paradoxos e às suas ambiguidades terríveis, em que contrabalançam o bem e o mal, o êxito e os fracassos, a esperança e o desespero. Sendo o seu maior perigo, ela exige o máximo do homem e quando há alguém capaz disto, ela efetivamente o recebe. (Carl Gustav Jung; AION: Estudos sobre o simbolismo do Si-Mesmo – § 24).

O desenvolvimento da Anima reflete no homem na forma como lida com suas relações especialmente com as mulheres, mas sua influência, na verdade, se dá em todo tipo de relação.

Isto pelo fato da Anima assumir a função de ser a ponte no relacionamento com o oposto, seja do masculino com o feminino, como também entre consciência e inconsciente.

A presença da Anima pode suscitar sentimentos e estados de humor alterados, sensibilidade e irracionalidade.

A Anima é um fator da maior importância na psicologia do homem, sempre que são mobilizadas suas emoções e afetos. Ela intensifica, exagera, falseia e mitologiza todas as relações emocionais com a profissão e pessoas de ambos os sexos. As teias da fantasia a ela subjacentes são obra sua. Quando a Anima é constelada mais intensamente ela abranda o caráter do homem, tornando-o excessivamente sensível, irritável, de humor instável, ciumento, vaidoso e desajustado. Ele vive num estado de mal-estar consigo mesmo e o irradia a toda volta. (Carl Gustav Jung; Os arquétipos e o Inconsciente Coletivo – § 144).

O contato e desenvolvimento da relação com a Anima é fundamental para o amadurecimento psicológico do homem, bem como, para se relacionar com o Self.

A Anima costuma aparecer nos sonhos como figuras sedutoras ou guias espirituais e ser representada como princesa, fada, ninfa, musa, sereia, entre outras.

Paulo Rogério da Motta


Vídeo Resumo