A água da nascente – Terceira tarefa de Psiquê

A água da nascente, a terceira tarefa de Psiquê.

A vida corre como um rio.

Muitas vezes, a mulher precisa encher apenas uma taça e ela é de cristal.

A água da nascente – Terceira tarefa de Psiquê

A água da nascente


Afrodite retorna e não consegue crer que Psiquê tenha conseguido completar a segunda tarefa e enfurecida decide derrotar a moça na terceira tarefa.

Ela pede que Psiquê encha e entregue a ela uma taça de cristal com a água do rio Estige.

Este é um rio circular que nasce no alto de uma montanha e sua escalada é muito íngreme, em sua descida o rio desaparece sob a terra passando pelas regiões abissais do inferno e então retorna às suas origens.

Além disso, o rio é guardado por terríveis monstros o que torna impossível a sua aproximação.

Afrodite retira-se confiante de que a moça não conseguirá realizar a tarefa e Psiquê outra vez se desestrutura e fica imobilizada por não saber como realizar tal feito.

Sua descrença é tão grande que ela sequer consegue chorar.

Neste momento aparece a águia de Zeus, pois o poderoso deus quer ajudar seu filho Eros e assim ordena que sua águia vá até Psiquê.

E então a águia pega a taça de cristal das mãos da moça e voa até o rio, enche a taça e a traz de volta para Psiquê.

Assim Psiquê consegue realizar a terceira tarefa.


O mito completo você pode ver aqui: O mito de Eros e Psiquê

A água da nascente – Terceira tarefa de Psiquê

O ego de cristal e o rio da vida


O rio representa a vida e os altos e baixos da vida são o curso do rio.

A mulher como vimos anteriormente tem a capacidade de cuidar de uma montanha de sementes.

Mas, a vida acaba por proporcionar à mulher uma gama de tarefas e a mulher, geralmente, se atira em todas elas.

O mito nos mostra que Psiquê para realizar a tarefa teria que encher “uma” taça de cristal, ou seja, uma coisa de cada vez.

A mulher, diante das inúmeras tarefas e possibilidades da vida, precisa ter a visão panorâmica da águia e focalizar algo específico, mergulhar na vida e trazer a realização desta única coisa.

A taça de cristal que acolhe a água do rio é de cristal, algo delicado e frágil.

Esta taça de cristal representa o ego que é mergulhado na vida, pois é através dele que apreendemos tudo o que vida nos oferece.

Porém o cristal é algo frágil e é preciso cuidado para lidar com ele, assim como com o ego.

As neuroses e psicoses são a desestruturação do ego.

O mergulho da taça de cristal no rio e o encher da taça com a água do rio também representa o nosso funcionamento psíquico e o trabalho realizado numa psicoterapia que consiste em se trazer o conteúdo inconsciente para o consciente com o devido cuidado.

Ou seja, colher com uma taça de cristal um pouco da água do rio.

As mulheres modernas atiram-se no rio da vida.

O ritmo da mulher atual, em geral, é alucinante.

Muitas mulheres casadas cuidam da casa, do marido, dos filhos, trabalham fora, estudam, levam as crianças para a escola, vai ao mercado fazer compras, vai ao cabeleireiro…

No final do dia estão exaustas.

Na medida do possível, a mulher moderna precisa aprender a pegar uma taça de cristal por vez.

A água da nascente – Terceira tarefa de Psiquê

Paulo Rogério da Motta


Mais de: As tarefas de Psiquê