A Sombra na Psicologia Analítica


A sombra na Psicologia Analítica personifica certos aspectos do inconsciente que poderiam ser acrescentados ao complexo do ego, mas que por algum ou por vários motivos não o são.

Na sombra, vive tudo o que o ego não quer ou não pode adaptar aos costumes e convenções sociais e culturais.

Por isso, a sombra é o arquétipo responsável pelo aparecimento na consciência de pensamentos, sentimentos e sensações desagradáveis e socialmente repreensíveis.

A Sombra na Psicologia Analítica
A Sombra na Psicologia Analítica

O perigo que mora dentro


Jung descobriu que o material reprimido se organiza e se estrutura ao redor da sombra.

A sombra é mais perigosa quando não é reconhecida.

Neste caso, o indivíduo tende a projetar suas qualidades indesejáveis nos outros ou a deixar-se dominar pela sombra sem o perceber.

Não aceitar a presença da sombra é perigoso, pois ela poderá operar de forma inesperada e fazer com que o indivíduo faça coisas que sequer ele entenderá porque fez.

Quanto mais o material da sombra tornar-se consciente, menos ele pode dominar.

A sombra é uma parte integrante da nossa natureza e nunca pode ser simplesmente eliminada.

Uma pessoa sem sombra não é um indivíduo completo.

A Sombra na Psicologia Analítica

Confrontar a Sombra na Psicologia Analítica


A sombra vem a ser o inimigo oculto da persona, pois a persona exerce a função de ser a vitrine que o indivíduo cria para mostrar à sociedade ao passo que a sombra é o porão escuro da psique que o indivíduo quer esconder da sociedade.

Confrontar a sombra significa mais do que conhecê-la e é um choque nos vermos como somos, e não como gostaríamos de ser.

A integração da sombra na vida do indivíduo envolve dificuldade, pois requer coragem lidar com o que não é agradável em si mesmo, além da resistência do ego em aceitar mudanças.

Confrontar a sombra em nós significa percebê-la, entendê-la e integrá-la para que seja um aspecto da personalidade a ser usado de maneira favorável e, assim, alcançar um equilíbrio que se traduzirá em harmonia na psique.

Ressalto que a sombra não é constituída necessariamente de conteúdos negativos da psique, pois na sombra encontra-se tudo aquilo que o ego colocou no porão escuro da psique.

Mas neste porão escuro também podem ter sido colocadas qualidades, talentos e potencialidades que o ego em sua trajetória de vida não pode expressar e realizar.

A sombra na Psicologia Analítica, portanto, é uma presença psíquica que precisa ser reconhecida, pois, apesar de indesejada pelo ego, faz parte da totalidade do ser humano.

Paulo Rogério da Motta


Vídeo: O que é Sombra? – Dicionário Junguiano