A sombra e as irmãs de Psiquê

A sombra é presença indesejada e inevitável na psique humana.

Sabe aquela voz que fica resmungando dentro de nós?

São as irmãs de Psiquê.

É a sombra!

A sombra e as irmãs de Psiquê

A sombra e as irmãs de Psiquê


O mito de Eros e Psiquê você encontra aqui em Psicologia Profunda neste artigo: O mito de Eros e Psiquê.

Sabem aquelas pessoas que ficam resmungando à nossa volta?

São as irmãs de Psiquê.

Sabem aquelas vozes que ficam resmungando dentro de nós?

Também são as irmãs de Psiquê.

As irmãs de Psiquê fazem parte do lado sombra e apesar de indesejadas são importantes fontes de crescimento e, por isso, indispensáveis para a evolução.

A sombra é mais perigosa quando não é reconhecida!

É preciso que tenhamos contato com nossa sombra para que saiamos da fantasia de perfeição que carregamos de nós mesmos.

Na sombra, vive tudo o que o ego não quer ou não pode adaptar aos costumes e convenções sociais e culturais.

Por isso, a sombra é o arquétipo responsável pelo aparecimento na consciência de pensamentos, sentimentos e sensações desagradáveis e socialmente repreensíveis.

Como são as irmãs de Psiquê no mito!

Se deixarmos de ter contato e perceber a sua existência estaremos tendo uma visão distorcida de nós mesmos, pois há sombra em todos nós, sem exceção.

A sombra surge a partir do desenvolvimento do ego e o contato deste com a realidade externa.

A sombra começa a ser configurada com o contato do mundo interno do indivíduo com o mundo externo, entre a individualidade e a coletividade.

A sombra é aquela voz que vive depreciando a própria pessoa dizendo frases como:

  • Eu não mereço isso!
  • Isso é muito para mim!
  • Eu não vou conseguir!
  • Nem vou fazer porque sei que não vai dar certo!

A sombra e as irmãs de Psiquê

A sombra além de depreciar o próprio indivíduo também pode despejar seu veneno sobre os outros com fofocas, pessimismo, gosto pela crítica destrutiva, sarcasmo e muitas são as artimanhas deste arquétipo.

Assim, o indivíduo tende a projetar suas qualidades indesejáveis nos outros ou a deixar-se dominar pela sombra sem o perceber.

As artimanhas as irmãs de Psiquê no mito são ótimas referencias de como atua a sombra.

Seria de bom tom supor que se deve evitar a sombra, mas quando a sombra é reprimida ela se atrofia e se torna ameaçadora.

A sombra precisa ser reconhecida!

Em primeiro lugar, é necessário que se admita e se leve a sério a existência da sombra.

Depois, a pessoa deve tornar-se ciente das qualidades e intenções dela.

Isto se consegue pela atenção consciente aos estados de humor, às fantasias e aos impulsos.

Por fim, é inevitável um longo processo de negociação.

As irmãs de Psiquê não são características adoráveis e desejadas, mas foram elas que fizeram Psiquê realmente ter contato com a realidade de quem era e como era o seu marido.

O caminho é o de integração da sombra e integrar consiste na percepção de sua existência, num diálogo com esta e, assim, a sombra passar a ser um recurso a mais da psique para atuação do indivíduo na vida.

A sombra pode ser um recurso vital para o indivíduo, pois ela pode nos livrar de muitas encrencas nos avisando dos perigos do mundo e da má intenção de muita gente.

Sem a ajuda da sombra todo ser humano seria uma Poliana que veria o mundo como um paraíso cor de rosa e toda pessoa como o seu melhor amigo.

No mito a relação das irmãs de Psiquê com a nossa heroína é permeada de amor e ódio, assim como é a nossa relação com a sombra.

Mas irmã é irmã, seja ela como for!

Paulo Rogério da Motta


Vídeo: Amor e ódio entre irmãs