A conscientização na busca da totalidade

A conscientização na busca da totalidade


A conscientização e a busca da totalidade

Sharp (1993, p. 91) diz que “a individuação é um processo informado pelo ideal arquetípico da totalidade, que, por sua vez, depende da relação vital que existe entre o ego e o inconsciente.”.

A individuação é um processo que contempla a adaptação do indivíduo ao mundo externo por um lado e por outro é baseado na relação ego e inconsciente e é importante destacar que isso não pode ser traduzido como absorção do inconsciente e busca de uma consciência total, pois a totalidade da consciência implicaria na inexistência do inconsciente e tal posição seria de unilateralidade e não de totalidade.

Jung (2003, § 522), afirma que “consciência e inconsciente não constituem uma totalidade, quando um é reprimido e prejudicado pelo outro”, ou seja, a totalidade buscada no processo de individuação não consiste numa situação em que a ampliação da consciência culmine com a absorção do inconsciente.

O processo de conscientização é caminho para a individuação.

Hall e Nordby (2000, p. 27) dizem que “a meta da individuação é conhecer a si mesmo tão completamente quanto possível, ou a autoconsciência. De acordo com a moderna terminologia, isto seria denominado de consciência em expansão”.

A individuação vem a ser, então, a busca de si mesmo, da consciência de si mesmo cada vez mais plena.

A consciência em busca da autoconsciência permite que ela possa ser vista de forma mais profunda na psicologia analítica. Edinger (2004, p. 20) ao responder afirmativamente o questionamento de se há consciência no inconsciente, coloca a consciência não somente como possibilidade do ego e sobre a consciência como possibilidade para além do ego o autor diz que “ela não possui a clareza de enfoque que a consciência do ego possui; ela é de uma natureza diferente e talvez seja descrita melhor como consciência latente.”.

O autor coloca a consciência não como monopólio do ego e indica que a existência de uma consciência latente, diferente da consciência do ego que é uma consciência realizada, é algo que dá uma concepção muito mais profunda da consciência.

O que é Self

A busca da totalidade


Hall e Nordby (2000, p. 27) afirmam que “[…] o início da consciência é também o início da individuação. Com a consciência crescente há também maior individuação.”.

Esta afirmação vincula categoricamente o processo de conscientização ao processo de individuação e a ampliação do primeiro levará a um maior êxito do segundo.

A busca da totalidade consolida-se com a expansão da consciência e consequentemente com uma relação mais próxima entre o Self e o Ego, cabendo ao segundo o entendimento de que ele é instrumento do primeiro.

Paulo Rogério da Motta