A arte de ouvir na Psicoespiritualidade


Saber ouvir é uma arte!

E como ser um bom artista nesta arte de ouvir?

Qual o papel do ego e da consciência nisso tudo?

A psicoespiritualidade tem respostas para isso.

Ego e Consciência


quem sou euA essência da escuta está na distinção de ego e consciência.

O ego é ativo e a consciência é ativa e passiva. O ego é instrumento da consciência e é sua parte ativa. O ego age e a consciência acolhe. A meditação é um exemplo de se estar passivamente consciente, ou seja, com o ego silenciado.

Feita a distinção entre ego e consciência voltemos aos seus papeis na arte de ouvir.

É muito comum um “suposto ouvinte” em uma conversa com alguém realizar muito mais uma conversa consigo mesmo enquanto “supostamente” ouve o outro.  

Mas, dialogar é estabelecer conexão com o outro. Desta forma, diálogo é uma situação de mão dupla! Há que se ter alternadamente entre as pessoas que conversam a atitude passiva e ativa. Ouvir é passivo e falar é ativo.

A escuta é fundamental para a conexão com o interior de alguém, mas realmente ouvir não é uma tarefa simples, é uma arte. A escuta é algo passivo, receptivo e generoso e estas não são características do ego. São qualidades da consciência.

Vou exemplificar para tornar tudo ainda mais claro!

Imagine a situação em que alguém está diante de outro alguém numa (suposta) conversa. Porém, a voz que mais ouve em sua mente é primeiramente a sua e ele (supostamente) ouve o outro já procurando antecipar em sua mente o que falará na primeira vírgula que o outro colocar em sua fala.

Sim, vírgula! Nem ponto final precisa ser! Uma pequena pausa já será suficiente para colocar em ação a missão da boca: falar! A missão da boca entrará em ação na primeira oportunidade que tiver!

Como ouvir o outro se a voz que soa na mente é a voz do próprio ego, ansioso por querer expressar e traduzir o que chega até ele e falar de si?

A Psicoespiritualidade busca uma constante conscientização da vida e do viver, mas tal busca se baseia numa conscientização que transcende o ego. O ego, como disse, é ferramenta da consciência e não seu sinônimo. Essa transcendência do ego é essencial na arte de ouvir.

A arte de ouvir na Psicoespiritualidade
A arte de ouvir na Psicoespiritualidade

A arte de ouvir


encontroHá uma parábola de um arqueiro Zen que fala que “quanto mais alguém se esforça para atingir o alvo, mais fora dele esse alguém atira”.

Alguns conceitos da Piscoespiritualidade são importantes agora:

“O ego é instrumento da consciência. A consciência é instrumento da psique. A psique é instrumento da alma. A alma é instrumento do espírito.”.

Transcender plenamente o ego é atuar no instrumento mais elevado possível: a alma. Ficou com muito mais sentido a expressão popular de “conversar com a alma”!

O ego tem que ser instrumento e porta voz da alma. Ficar em silêncio consigo mesmo é prerrogativa para a arte de ouvir. O silêncio interno começa quando o ego se cala.

Para aquele que é psicólogo é vital a compreensão de que o ego não é um bom terapeuta. O bom terapeuta utiliza a totalidade de sua psique. Para a Psicoespiritualidade a totalidade é ainda além!

Por isso, a arte de ouvir consiste em ouvir com o silêncio interior reinando no ouvinte e a voz que soa no encontro com o outro é a do outro e não a tagarelice do ego.

Há que se manter a intencionalidade do ego, mas há que se conter o seu ímpeto ativo. O ego exercerá seu papel ativo generosamente intervindo para ser porta voz da alma.

Assim, a arte de ouvir na Psicoespiritualidade consiste em “estar para o outro” e “ser essencialmente você” para que o diálogo seja a situação de encontro de almas.

Paulo Rogério da Motta


Vídeo Resumo


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.